3 hábitos que pioram a oleosidade da pele

Se você tem excesso de oleosidade na pele, a solução pode ser deixar de lado alguns hábitos e adotar uma boa rotina de skincare, com uma adequada limpeza de pele masculina.

Compartilhar:

O que fazer para diminuir a oleosidade do rosto?’ deve ser a dúvida existencial da maior parte das pessoas que, como nós e você, têm pele oleosa, acertamos?

Agora, nós também acertamos em dizer que muitas ‘receitas’ que você viu por aí, na verdade, não tornam sua vida mais fácil, não. Vem que a gente conta e explica por quê.

O que causa excesso de oleosidade na pele?

Em artigo sobre pele oleosa, que fala sobre hábitos que pioram a oleosidade da pele, imagem mostra uma jarra de azeite de oliva em cima de uma mesa de madeira, cercado de azeitonas.

Foto: Roberta Sorge | Unsplash.

A pele é o maior órgão do corpo, mas não é igual em todo lugar. 

Ela tem variações de tipo, textura, densidade, potencial hidrogeniônico — o famoso pH, que mede a acidez — e sensibilidade em várias partes.

Além disso, cada parte tem também uma ‘história’ diferente.

No rosto como um todo – testa, bochechas e região da barba —, a pele fica mais exposta a agressões, e ela se protege… produzindo óleo (o nome técnico é sebo).

Essa é a primeira observação importante para entender ‘como funciona’ a pele oleosa — e para evitar deslizes que vão agredir a pele e piorar a produção excessiva do óleo. Vamos a alguns deles.

1. Usar sabonete corporal no rosto

Em artigo sobre pele oleosa, que fala sobre hábitos que pioram a oleosidade da pele, imagem mostra mão voltada para cima com espuma de sabonete na palma.

Foto: Matthew Tkocz | Unsplash.

Não é mito a história de que não se deve lavar o rosto com sabonete comum.

Isso acontece porque os sabonetes feitos para o corpo tendem a ser mais abrasivos e alcalinos e, por isso, mudam o pH natural da pele facial.

O resultado é que, depois que você sai ‘sequinho’ do banheiro, vem o ‘efeito rebote’, e a pele produz ainda mais óleo por conta da agressão, aumentando a chance de os poros ficarem entupidos. 

É muito importante, então, usar sempre produtos próprios para o rosto, especialmente formulados para a limpeza de pele dessa região tão exposta, mas também mais delicada.

Escolha de preferência um sabonete para o rosto feito especialmente para o homem, que, além de tudo, leva em conta as características específicas da pele masculina, como sua maior espessura — e não descuide da hidratação.

Com isso, a pele vai desenvolver mais resistência às agressões diárias, o que, a médio prazo, regula a produção de oleosidade: um ‘efeito rebote’ do bem.

De quebra, quando você precisar expor seu rosto a agressões mais hardcore, como frio intenso ou sol escaldante, a pele se recupera mais rapidamente.

2. Não esfoliar a pele

Em artigo sobre pele oleosa, que fala sobre hábitos que pioram a oleosidade da pele, imagem mostra o rosto de um gatinho de pelagem ruiva e branca esfregando-se em um pincel.

Foto: Karin Hiselius | Unsplash.

Talvez você já tenha ouvido falar de esfoliante para o rosto e não tenha prestado atenção.

Para quem tem pele oleosa, porém, esfoliar pode ser uma das melhores ações a tomar.

Isso porque a pele, como já mencionamos, tem poros, e eles precisam estar desobstruídos para que ela ‘respire’.

Ao longo do dia, porém, várias impurezas grudam e entopem esses poros, principalmente poluição.

O problema é ainda pior na pele oleosa, por causa do excesso de oleosidade característico desse tipo de pele — e, quando os poros estão obstruídos, eles se inflamam, dilatam e ficam até visíveis. Essa inflamação acaba por desregular a produção do óleo, que aumenta nesses pontos para, mais uma vez, combater o que a pele ‘entende’ como agressão.

Não tem segredo para aprender como esfoliar o rosto. Basta escolher um bom esfoliante facial e seguir as instruções básicas para manter os poros abertos e respirando livremente.

3. Lavar o rosto várias vezes ao dia

Imagem de jovem de pele clara, olhos azuis e cabelos loiros com o rosto molhado por água, olhando para a frente da câmera, em artigo sobre pele oleosa, que fala sobre hábitos que pioram a oleosidade da pele.

Foto: Christopher Campbell | Unsplash.

Você já viu que a pele produz óleo como um recurso para se proteger de agressões.

O que acontece se você lavar o rosto repetidas vezes? Você tenderá a remover essa proteção natural e, ao primeiro sinal de agressão, a pele vai voltar a produzir (ainda mais) óleo!

É claro que isso não significa que você deve radicalizar, por que o que acontece se você não lavar o rosto? Acúmulo de sujeira e impurezas, que são agressões e… Bom, você já sabe o ciclo.

Na verdade, pode-se lavar o rosto todos os dias, sim — e, embora não haja uma lei escrita em pedra quanto à frequência, que vai depender de pessoa para pessoa e da orientação de um dermatologista, é um bom começo lavar duas vezes ao dia.

 

Isso já é o suficiente para retirar células mortas e impurezas sem prejudicar o pH pelo excesso de água e produtos.

 

Por falar em produtos, eles são essenciais para sair do ciclo sem fim de remover e produzir oleosidade. Quando você tem a pele oleosa, uma boa dica, em vez de lavar várias vezes, é simplesmente optar por um gel de limpeza facial com controle de oleosidade.

Assim, você ajuda a educar a sua pele para regular a produção de óleo e aumentar a resistência natural. Como ‘prêmio’, vai equilibrando a pele dia a dia, até que ela esteja saudável, e o óleo? Só aquilo que sua pele realmente precisa. ✌️

👉 Saiba mais sobre como fazer um skincare para a pele masculina e deixá-la saudável.

|

Foto/Destaque: Lumin | Unsplash.